Notícias

Voltar 21 de Novembro de 2017

ASPER realiza estudo e propõe ao Governo do Estado reajuste de auxílio saúde concedido ao Servidores


A Asper - Associação dos Trabalhadores no Serviço Público no Brasil, visando garantir condições para os associados da mesma manutenção de garantias adquiridas enviou ao Governo do Estado de Rondônia uma proposta de reajuste do auxílio saúde concedido aos servidores públicos do Estado, para isso a ASPER realizou um estudo com a finalidade de mostrar ao governo a defasagem do valor pago nos últimos anos e mostrar a necessidade de rever o valor pago ao servidor.

A ASPER argumenta em sua solicitação de reajuste do auxílio saúde, que o valor recebido nos dias atuais não está permitindo os servidores manterem a assistência na área da saúde como previa o projeto de lei inicial.

A Associação leva em consideração, para a parametrização do valor reivindicado, que os servidores ao continuarem na manutenção do um plano de saúde e beneficiar-se da rede particular de saúde “desafoga” a rede de saúde pública que já se esforça para atender a demanda em todo Estado.

A ASPER entende que com o momento crítico para a economia brasileira, todos devem aprender a conviver com a nova realidade financeira do país, no entanto, sem um reajuste que possa de fato ajudar os servidores a manter um plano de saúde os mesmos serão obrigados, a migrar para rede pública. Os servidores públicos estaduais, que recebem hoje um Auxilio Saúde no valor de R$ 150,00 e estão ligados a ASPER e tem o privilégio de usufruir de assistência médica e odontológica de qualidade na rede particular de atendimento.

O principal argumento da ASPER em propor o reajuste ao governo é que o último reajuste aplicado, aconteceu com a lei 2497 de 10 de julho de 2011, que elevou na época o auxílio saúde condicionado para R$ 150,00. A partir desta data até os dias de hoje não houve reajuste, em contrapartida ouve reajustes anuais dos planos de saúde, isso tornou insustentável a manutenção de planos de saúde para vários servidores, que cancelam seus convênios, perdendo com isso o auxílio que é condicionado.

Diante destes fatores a ASPER espera junto ao governo do Estado conseguir uma atualização nos valores do auxílio, para isso entregou um estudo detalhado com o impacto na folha de pagamento.  Uma proposta que propõe que os servidores passariam a receber de forma escalonada, ou seja, com valor mínimo de R$ 160,00 e máximo de R$ 350,00 obedecendo a faixa etária de cada servidor.

Hoje o governo beneficia 22.428 Servidores Estaduais que Auxílio Saúde, são milhares de vidas assistidas pela a lei que instituiu o auxílio.

O documento foi encaminhado ao governo no último dia 21 de novembro e espera-se que o Governo do Estado se sensibilize com os servidores públicos que prestam serviço para o Estado e garanta aos mesmos este direito que foi adquirido através de muita negociação e compreensão. Assim, a ASPER solicitou uma audiência com o Governador do Estado para apresentar o estudo do levantamento realizado e a proposta que tem por finalidade garantir direitos adquiridos pelo servidor público do Estado.

 

Confira abaixo o estudo realizado e a proposta apresentada ao Governo do Estado

 

 

Fonte: Assessoria


Hospital Carlos Chagas
Escritórios Regionais